terça-feira, 2 de junho de 2009

Eu sou um poço, de sensibilidade... ♪



Um balde incansável de lágrimas. Uma felicidade descontrolada, uma raiva diária. Muito estresse, muito sono, muita fragilidade. Ciúme, insegurança, egoísmo. Sonhos, sorrisos, abraços. Esforço não reconhecido.
Todos os dias eu penso muito a respeito das pessoas. Das pessoas que gosto. E não vejo outra alternativa a não ser me doar a eles como tenho me doado. Talvez eu só veja essa alternativa porque é o que preciso das pessoas. De doação, de abraços, atenção. Ando muito cansada ultimamente, cansada de ver sempre as mesmas pessoas, de buscar melhorar, de tentar ter algum reconhecimento... Falha. "Hey mãe, por mais que a gente cresça, há sempre alguma coisa que a gente não consegue entender". Fico procurando formas de abastecer esse vazio. Procurando pensar em outras coisas, outras pessoas, mas, hei! Eu não quero que deixem de pensar em mim. E mais uma vez, olha eu fazendo a minha parte para, talvezquemsabeumdia, as pessoas façam a parte delas. Acho que preciso de ocupação, muita ocupação. Mas tudo o que penso em fazer não depende apenas de mim. Quase nada depende apenas de mim. E o que depende, ainda me cobram muito mais. Se estressam muito mais comigo, com isso, com aquilo. Fazem comparações. Será que alguém sabe que eu também preciso colo?

boa noite!

4 comentários:

' mel disse...

Ah Isa, saiba de uma coisa, todo o amor que eu puder te dar, tudo que estiver ao meu ancance nessa nossa pouco convivência eu tento lhe passar, e pelos meus abraços eu expresso a minha gratidão por você! Mais dizendo das pessoas, é por isso que eu falo 'as pessoas são chatas' sim, elas me cansam, e eu me canço de mim também, essa rotina, essa vida monótona. Mais eu até gosto, gosto de sempre ver algumas pessoas, porque se não fosse pela rotina, talvez eu não as visse nunca. Como se diz "toda rotina, tem sua beleza." :D

Anônimo disse...

Texto egocêntrico.
Parece que algumas pessoas tem a vida ganha, que não se esforçam em nada, pra isso tem uma frase que ouvi uma vez num filme, era mais ou menos assim: "Esse cara é louco, como ele consegue entrar em depressão, ele é branco! Um branco com depressão, faça-me o favor!"
O mundo de hoje é individual demais, só a gente mesmo pra nos dar atenção! Os amigos são tão poucos a gente precisa tanto deles, às vezes parece que bem mais do que eles precisam de nós. Relações e trocas.
Além de nos esforçarmos temos que demonstrar, temos que divulgar o nosso esforço, mas claro sem parecer orgulhosos demais.
É tanta cobrança das pessoas que nos envolvem e tanta cobrança desta entidade superior que alguns chamam de Deus, outros de natureza e outros a chamam sociedade. E outra entidade não tão superior que nos cobra assim, talvez mais dolorosamente ainda, que somos nós mesmos, não tomamos consciência disso, mas nossos valores arraigados a cada momento nos alfinetam para querermos sempre mais, porque nunca vamos conseguir chegar no topo, pois o topo não existe.

Lisbelisa. disse...

O ser humano é realmente complexo. Conseguimos fazer algo que nos traga felicidade hoje e amanhã já pode se tornar odioso.
Quanto mais pensamos que pensamos para fazer algo, na verdade não pensamos totalmente porque o amanhã é incerto,essa é a única certeza.
Talvez quando você fale sobre si aqui, isso lhe traga satisfação só no ato de escrever porque quando escrevemos é como se nos libertássemos de algo. Se ruim,depois fica bom. Se era bom, depois fica melhor ainda.
Se é dessa forma que você se sente bem e que seu coração fica aliviado, continue!!!!;)

É bom comentar aqui novamente.
Beijos!

Anônimo disse...

E como é chato tudo isso, não! nÓs precisamos enlouquecidamente das pessoas , para tudo , para riso, para abraço... Buscamos melhoras , mas parece que sempre passa desapercebido ,é tanta insegurança ,tudo tão cansativo(e como é),mas buscamos melhoras para agradarmos a quem amamos , veja que fraco.E as pessoas nem se doam , talvez por medo , ou pura maldade...precisamos de doaçoes , nem que seja um lindo riso sincero.